Passar para o Conteúdo Principal

Carlos Bondoso publica mais um livro de poesia

20141104120759870236 1 980 2500
04 Novembro 2014
É o quarto em quatro anos. Em “As cores do meu silêncio”, edição da “Modocromia”, Carlos Fernando Bondoso fala de ‘silêncios’, de ‘sofrimentos’, e utiliza a palavra e a linguagem poética para denunciar “cíclicas injustiças, plátanos de repressão, anéis de pobreza, prantos de abusos de um povo sofredor”, escreve no prefácio Adnilo Lotus de Carmin (ou Lynda de Carvalho), que fará a apresentação da obra na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira, no dia 15 de novembro, pelas 16 horas.

É o quarto em quatro anos. Em “As cores do meu silêncio”, edição da “Modocromia”, Carlos Fernando Bondoso fala de ‘silêncios’, de ‘sofrimentos’, e utiliza a palavra e a linguagem poética para denunciar “cíclicas injustiças, plátanos de repressão, anéis de pobreza, prantos de abusos de um povo sofredor”, escreve no prefácio Adnilo Lotus de Carmin (ou Lynda de Carvalho), que fará a apresentação da obra na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira, no dia 15 de novembro, pelas 16 horas.

Carlos Bondoso é natural de Moimenta da Beira, mas viveu grande parte da vida em S. Tomé. Reside actualmente na cidade de Montijo. O seu percurso literário ainda não é longo, mas além dos quatro livros de poesia que já escreveu, publica também no Brasil, na revista literária “As Flores do Mal”, e faz parte das antologias de poetas contemporâneos “Entre o Sono e o Sonho” (III e IV edições), “Beijos de Bico, Poesia sem Gavetas (I e II), “Erotismvs”, “Palavras de Cristal”, “Solar dos Poetas Milandos da Diáspora”, etc.

Está ainda incluído na antologia feita em honra do escritor brasileiro Affonso Romano de Sant’Anna “Cumplicidade das Letras”, e escreve para a revista literária “A Chama”. Carlos Bondoso é membro da Associação Portuguesa de Poetas e de Os Confrades da Poesia.