Passar para o Conteúdo Principal

Diáspora propõe ‘rota das macieiras em flor'

20131230105537374113 1 980 2500
30 Dez 2013 a 13 Jan 2014
Mais de três dezenas de moimentenses na diáspora juntaram-se para o segundo encontro que se realizou em Moimenta da Beira, no dia 21 de dezembro. E desta vez com um tema de discussão e reflexão: a maçã como ‘marca’ forte do município, produto que gera riqueza, emprego e dá nome ao concelho e à região que produz cerca de metade da maçã que o país consome: mais de 100 mil toneladas por ano.

Mais de três dezenas de moimentenses na diáspora juntaram-se para o segundo encontro que se realizou em Moimenta da Beira, no dia 21 de dezembro. E desta vez com um tema de discussão e reflexão: a maçã como ‘marca’ forte do município, produto que gera riqueza, emprego e dá nome ao concelho e à região que produz cerca de metade da maçã que o país consome: mais de 100 mil toneladas por ano.

João Silva, presidente da Cooperativa Agrícola do Távora, e Cartageno Ferreira, investigador, estudioso e profundo conhecedor científico do tema, foram os oradores convidados num debate moderado por José Eduardo Ferreira, presidente da autarquia, que se realizou no auditório da Artenave, instituição onde decorreu também o jantar convívio.

Do diálogo e da troca aberta de impressões resultaram um conjunto enorme de desafios. Um sublinhado para dois deles: a) organizar rotas de visita às macieiras em flor, tal como está já institucionalizado nas regiões da amendoeira em flor; b) encontrar, por consenso, um nome para a maçã de Moimenta.

Os encontros da diáspora moimentense valem pelo ‘peso’ que tem cada um dos seus membros, nas áreas científicas que dominam. Todos juntos formam um ‘lobi’ que pode abrir portas ao progresso e desenvolvimento de Moimenta da Beira.
  • Diáspora 3 modified
  • Diáspora 4 modified
  • Diáspora 5 modified
  • Diáspora 6 modified