Passar para o Conteúdo Principal

A maçã inspira exposição de pintura na Expodemo

12 Setembro 2016
O génio de Arnaldo Macedo funde-se amiúde no fruto proibido. A maçã povoa-lhe o imaginário e a tela. Essa maçã que é símbolo maior da Expodemo, e que preenche o talento do artista, aparecerá pintada, reiteradamente, nos quadros que Arnaldo reuniu para a exposição a inaugurar no primeiro dia do certame, 16 de setembro, às 18h00, no átrio dos Paços do Concelho, em Moimenta da Beira. A mostra tem um nome: “Interior inconstante da maçã”.

Com uma obra que atravessou vários estilos, a pintura de Arnaldo Macedo fixou-se na corrente surrealista resultante da influência do pintor surrealista Salvador Dali e do escritor Mário Cesariny. O seu imaginário deambula entre a força simbólica das imagens e a subtileza das palavras. Ganhou alguns prémios em concursos, e tem participado regularmente em exposições coletivas e individuais.

De si próprio diz que a vida terrena o asfixia. “A minha mente transporta-me para outro lugar, para lá da ilha do pensamento, onde a criação se encontra com a liberdade, na ilha do Éden. Do azul encamisado do céu solta-se um balão de ar quente que contém os pincéis, triviais ferramentas, que delineiam o meu devaneio. Na companhia das nuvens, as maçãs sacodem as suas asas, agitando toda esta loucura. Procuro a perfeição escutando as harmonias dos planetas. Enquanto minha alma não repousa, vou colorindo”.

Programa completo da Expodemo

imagem

imagem