Passar para o Conteúdo Principal

Viagem ao Estádio do Dragão

30 Abril 2024
Gabinete de Comunicação CMMB

Já foi há uns dias, mas é importante que se recorde esta viagem empreendida por alguns sócios e simpatizantes da Casa do Futebol Clube do Porto de Moimenta da Beira, que rumaram até à invicta cidade do Porto para assistir ao jogo entre o Futebol Clube do Porto e o Famalicão no Estádio do Dragão. Viagem que pode ser encarada como inclusiva, já que aos sócios e simpatizantes juntaram-se alguns meninos das ATL ‘Os Navegadores’ e ‘Odisseia’, bem como alguns utentes da ‘Artenave’, a quem a Casa do Futebol Clube do Porto fez a gentileza e a amabilidade de oferecer alguns bilhetes, proporcionando-lhes um dia único e memorável.

Logo pela manhã, sentiu-se o entusiasmo e a alegria espelhada no rosto dos adolescentes dos ATL e dos utentes da ‘Artenave’, que iam chegando à Casa do Porto.

Entre conversas, risos, prognósticos sobre o jogo e ao som de música ambiente alusiva ao clube, a viagem correu de forma agradável e tranquila. À medida que se ia aproximando a cidade do Porto, sentia-se uma ligeira agitação e ansiedade nos bancos do autocarro.

E eis que: “olha ali, o estádio”; “não estou a acreditar”; “é enorme”; “parece um sonho”. Sim, o Estádio do Dragão estava mesmo ali à frente.

Pisando as imediações do estádio, fez-se algum silêncio, aqueles olhares curiosos contemplavam a grandeza de tão enorme clube. Houve tempo para algumas fotografias, participar em algumas atividades na Friendzone, abraçar e falar com o Draco e a Viena. Houve ainda quem tivesse a oportunidade de visitar do Museu do FCP e sentir a grandiosidade da história do clube.

Com o aproximar da hora do jogo sentia-se a agitação, os corações a bater mais forte, e de repente, presenciam-se olhos cobertos de lágrimas. Sim, já estavam dentro do Estádio, para alguns era a realização de um sonho, era a primeira vez que viam o verde da relva a sobressair ao fundo do azul das bancadas, que ouviam tanta gente a cantar o Hino do F.C.Porto e que sentiam ao vivo aquela energia e onda azul e branca com tantos cachecóis e bandeiras erguidas.

Começara o jogo, os jogadores ali à sua frente, os seus ídolos estão ali mesmo a jogar: “Força Porto, estamos contigo”.

Olhares bem abertos, corpo inquieto, mãos na cabeça e a cada um dos golos que o Porto marcava na sua medíocre exibição, saltavam de alegria, abraçavam-se entre lágrimas.

Termina o jogo, “aqui o jogo parece mais rápido do que quando vemos em casa”; “aqui sofre-se mais”.

A equipa no relvado dá à volta ao campo entre assobios e adeptos que protestam não se levantando para os aplaudir. No entanto, os jogadores chegando à zona onde estavam estes adolescentes, tiveram sorte, receberam aplausos deles. Não que eles tenham gostado da sua exibição, mas porque são os seus ídolos, porque os respeitam, porque amam o clube nos bons e maus momentos, mostrando a todos que o amor, o respeito e a tolerância deviam estar mais presentes no mundo do futebol.

Foi um dia inesquecível para todos os que participaram nesta viagem, desde o mais novo ao mais velho onde todos foram um! Um grupo fantástico e maravilhoso, que riu junto, que se emocionou, que partilhou, aceitou e tolerou as diferenças, realizou sonhos e que levou o nome de Moimenta da Beira à cidade do Porto.

6
5
4
3
2