Passar para o Conteúdo Principal

Duas entrevistas sobre um tema: a equipa multidisciplinar que vai apoiar quem está em situação de confinamento obrigatório

Entrevistas 1 980 2500
09 Janeiro 2021
Gabinete de Comunicação CMMB

Em duas entrevistas, uma à rádio Jornal do Centro e outra à rádio Alive FM, o Presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira fala da importância e da razão de ser da equipa multidisciplinar que vai ajudar os cidadãos em situação de confinamento obrigatório, uma equipa criada esta sexta-feira por causa do aumento exponencial de casos positivos covid-19 no concelho, nestes últimos tempos.

À Alive FM, José Eduardo Ferreira justificou a criação da equipa. “Nós tínhamos (e temos ainda) em funcionamento uma linha de apoio (254 520 108) para a qual as pessoas podiam (e podem ainda) ligar no sentido de serem ajudadas, mas agora, o número de casos é tão elevado que a nossa convicção é de que vale a pena irmos ao encontro das necessidades das pessoas, não apenas esperar que elas nos liguem, contando o que precisam, mas indo todos os dias à procura delas, telefonando-lhes, visitando-as se for o caso, no sentido de as apoiarmos”.

A equipa foi também criada “tendo em consideração que as autoridades de saúde têm perdido capacidade de resposta, desde logo nos contactos que têm de fazer ao nível do rastreio, e no apoio social”, argumentou.

“O que o Município de Moimenta da Beira está a fazer é assumir integralmente, também neste aspecto, as suas competências ao nível da proteção civil municipal, o que significa, em geral, proteger a vida das pessoas, a saúde das pessoas, e no limite proteger também todos os bens das pessoas. Evidentemente que é um exercício difícil que está sujeito a várias contingências, mas mesmo assim nós não fugimos. É pena que não possamos ter começado há mais tempo com este exercício, porque do nosso ponto de vista ele podia ter provocado resultados distintos daqueles que neste momento vivemos. Mas agora, o que importa é olhar para a frente, e para a frente nós temos que dar todo o apoio que pudermos dar, e vamos dar, e vamos também participar na vigilância, porque a esmagadora maioria das pessoas só precisam de ter boas condições para cumprirem as medidas de isolamento profilático determinadas”, lembrou.

À rádio Jornal do Centro, o autarca disse que a equipa multidisciplinar “já começou a trabalhar”, relembrando a missão. “O que vamos fazer a partir de hoje é ir ao encontro das pessoas, ligando-lhes, contactando-as, para que possamos estar inteirados diariamente de quais são os principais problemas que têm, para os ajudarmos a resolver”.

“Estamos numa situação de muita dificuldade, em que os casos positivos de covid-19 crescem muito, todos os dias, precisamos de procurar respostas que sejam integradas e partilhadas por todos aqueles que têm obrigação de as prestar”, disse.

“Esta equipa disciplinar procura isso mesmo, coordenar esforços entre o município, as autoridades de saúde e de segurança para, por um lado garantir as condições adequadas de confinamento às pessoas que tenham que o respeitar, às quais tenham sido decretadas medidas de isolamento profilático, e por outro lado garantir também que essas medidas estão a ser cumpridas”, recordou.