Passar para o Conteúdo Principal

“O mundo evoluiu muito, mas trouxe riscos às crianças”

20140603164534527044 1 980 2500
03 Junho 2014
É uma autoridade mundial no direito e no foro da protecção das crianças. Uma das vozes mais ouvidas e respeitadas. Armando Leandro, Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, Jubilado, foi outra das ‘estrelas’ das jornadas da cidadania, que decorreram em Moimenta da Beira nos dias 29 e 30 de maio.


É uma autoridade mundial no direito e no foro da protecção das crianças. Uma das vozes mais ouvidas e respeitadas. Armando Leandro, Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça, Jubilado, foi outra das ‘estrelas’ das jornadas da cidadania, que decorreram em Moimenta da Beira nos dias 29 e 30 de maio.

Convidado para falar sobre os “direitos da criança e da família”, disse que apesar do mundo e da sociedade terem evoluído “admiravelmente”, isso trouxe “riscos acrescidos às crianças”. E deu como exemplo o livre e inquietante acesso à internet por parte das crianças. “É necessário que todos estejam atentos: os pais, a escola, a comunidade”, alertou o juiz, sublinhando o direito das crianças ao afecto, ao amor, á justiça, à tolerância, etc.

“Sem qualidade de infância, não teremos qualidade humana”, disse Armando Leandro, que defendeu o papel das comissões de protecção de crianças e jovens em articulação com as redes sociais como “fundamentais” para o real equilíbrio social e humano das crianças.

O juiz falou de “cidadania activa”, aplaudindo a autarquia pela realização das jornadas. “Elas são um excelente contributo para reflectirmos em conjunto sobre os direitos da criança e da família”, enfatizou.

Antes de Armando Leandro, outros convidados falaram: Joana Guerra, docente da Universidade Católica e da Universidade de Coimbra; Maria Emília Ribeiro dos Santos, assistente social; Pedro Krupenski e Alice Frade, ambos da Oikos – Cooperação e Desenvolvimento.
  • Jornadas Cidadania (c)
  • Jornadas Cidadania (d)