Passar para o Conteúdo Principal

Aquilino Ribeiro, um dia e uma noite com o mestre

2 1 1024 800
13 Junho 2018
No dealbar do século XXI, num pico de verão, Jorge Sampaio, que finalizava então o primeiro dos dois mandatos como Presidente da República, sugeriu que a obra de Aquilino Ribeiro, por se tratar de “um dos vultos maiores da literatura portuguesa” passasse a fazer parte dos programas letivos do ensino secundário. “Lê-lo, estudá-lo e divulgá-lo” seria, segundo Sampaio, uma das melhores formas de o homenagear. Desgraçadamente, porém, o apelo do antigo Chefe de Estado não teve caminho.

Mas não tendo percorrido nem caminho nem atalho, via aos currículos escolares, a obra do mestre, essa manteve-se imperecível. E amiúde é recordada, revisitada, lida, estudada e divulgada. Revisitada duas vezes, como sucedeu esta terça-feira, 12 de junho. Primeiro na Fundação Aquilino Ribeiro, em Soutosa, e depois no Auditório Municipal, na vila de Moimenta da Beira.

Em Soutosa, à tarde, foi uma visita guiada por Aquilino Machado, neto do escritor, à Casa-Museu, hoje sede da Fundação Aquilino Ribeiro. Na vila de Moimenta da Beira, à noite, foi uma conversa com a historiadora Irene Flunser Pimentel sobre o tempo histórico de Aquilino Ribeiro.

O programa da iniciativa está inserido no projeto "SOMOS DOURO", promovido pela CCDR-Norte, a Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial, com o apoio da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, no âmbito da classificação do Alto Douro Vinhateiro Património Mundial.

Comissariada por Anabela Mota Ribeiro, jornalista natural da região, esta ação foi desenhada para envolver a população do território num festival que inclui um fórum, conversas, roteiros, oficinas e espetáculos nos 19 concelhos do Douro. É cofinanciada pelo NORTE 2020, no âmbito do Portugal 2020 e através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.
  • 1 1 1024 683

    A historiadora Irene Flunser Pimentel falou sobre o tempo histórico de Aquilino Ribeiro

    1 1 139 90
  • 2 1 1024 683
    2 1 139 90
  • 3 1 1024 683
    3 1 139 90
  • 4 1 1024 683
    4 1 139 90
  • 5 1 1024 683
    5 1 139 90
  • 6 1 1024 683
    6 1 139 90
  • 7 1 1024 683
    7 1 139 90
  • 5 1 1024 683
    5 1 139 90
  • 8 1 1024 683
    8 1 139 90
  • 9 1 1024 683
    9 1 139 90
  • 10 1 1024 683
    10 1 139 90
  • 6 1 1024 683
    6 1 139 90
  • 7 1 1024 683
    7 1 139 90
  • 11 1 1024 683
    11 1 139 90
  • 12 1 1024 683
    12 1 139 90
  • 13 1 1024 683
    13 1 139 90
  • 15 1 1024 683
    15 1 139 90
  • Dsc 0149 easy resize.com 1 1024 683
    Dsc 0149 easy resize.com 1 139 90
  • Dsc 0180 easy resize.com 1 1024 683
    Dsc 0180 easy resize.com 1 139 90
  • Dsc 0181 easy resize.com 1 1024 683
    Dsc 0181 easy resize.com 1 139 90
  • Dsc 0182 easy resize.com 1 1024 683
    Dsc 0182 easy resize.com 1 139 90
  • Dsc 0184 easy resize.com 1 1024 683
    Dsc 0184 easy resize.com 1 139 90
  • 3 1 1024 683

    Visita à Casa-Museu de Aquilino Ribeiro, em Soutosa, Moimenta da Beira

    3 1 139 90
  • 4 1 1024 683

    Visita à Casa-Museu de Aquilino Ribeiro, em Soutosa, Moimenta da Beira

    4 1 139 90
  • 1 1 1024 683

    (da esq. para a dir.) Ricardo Magalhães (vice-presidente da CCDR-Norte), José Eduardo Ferreira (Presidente da CM de Mtª da Beira) e Anabela Mota Ribeiro (Comissária do projeto "Somos Douro")

    1 1 139 90